Casas de Parto e Mulheres Imigrantes

Las mujeres imigrantes bolivianas en su mayoria  prefiere tener un parto normal, y las Casas de Parto son una opción para un atendimiento humanizado . Infelizmente sólo existe una Casa de Parto que atiende por el SUS  que se encuentra ubicado en Sapopemba, hecho que restringe el acceso de las mujeres imigrantes a este tipo de beneficio, por ese motivo nosotras apoyamos los Proyectos de Ley de la Vereadora Juliana Cardoso (PT).

Casa de Parto

Projeto de Lei 542/2009, cria o Programa Centro de-Parto- Normal- Casa- de- Parto. Essa iniciativa estabelece condições para a realização de parto humanizado e fora do ambiente hospitalar. Aguardando segunda votação na Câmara Municipal.

“Temos que garantir a formalização e regulamentação das Casas de Parto. Este projeto dá segurança para que se tenha mais Casas na cidade de São Paulo, pelo menos uma em cada região” Juliana Cardoso

Obstetrizes

Projeto de Lei 359/2013, sobre a inclusão de Obstetrizes nos serviços da rede municipal de saúde destinados à promoção e atenção à saúde da mulher e à assistência durante a gestação, parto e pós-parto.

As Casas de Parto

As Casas de Parto ou centros de parto normal foram criados por lei em 1999, mas ainda são raras no Brasil. Surgem com a proposta de humanização da assistência ao nascimento e parto, na intenção de diminuir as taxas de cesáreas, medicações, intervenções desnecessárias e também permitir que as parturientes tomem decisões em relação ao seu própio corpo.

A cidade de São Paulo possui duas Casas de Parto: uma da rede de saúde municipal em Sapopemba e a Casa Ângela, no Jardim São Luís, administrada pela Associação Comunitária Monte Azul.

 Las Casas de Parto o Centros de Parto Normal fueron creados por ley en 1999, pero todavia son raras en Brasil. Aparecen con la propuesta de humanización de la asistencia al nacimiento y parto, con la intención de disminuir los índices de cesáreas, medicaciones, intervenciones  desnecesarias y también permitir que las mujeres en trabajo de parto tomen  desiciones en relación a su propio cuerpo.

La ciudad de San Pablo posee dos Casas de parto: una de la Red de salud municipal en Sapopemba y la Casa Angela, en el Jardin San Luis, administrada por las Asociación Comunitaria Monte Azul.

Parto Humanizado

A humanização da assistência ao parto envolve o respeito aos direitos sexuais e reprodutivos da mulher, com atendimento digno, respeitoso, embasado cientificamente e livre de qualquer tipo de violência – física, verbal, psicológica ou mesmo institucional.

As pesquisas científicas bem realizadas indicam que as gestantes de baixo risco e seus respectivos bebês têm sua saúde, segurança e bem-estar favorecidos em um parto normal com o mínimo de intervenções e drogas.

Apenas cerca de  15% das mulheres necessitam de uma cesariana e , nesses casos,a cirurgia se mostra salvadora para todas as demais, porém, ela implica mais riscos que benefícios.

No Brasil, infelizmente, muitas práticas comprovadamente inadequadas ainda são realizadas de rotina, como a episotomia ou “pique” (corte na vagina da parturiente), kristeller (empurrar a barriga da mãe) e outras. Isso também constitui violência e pode ter consequências ruins tanto à saúde física quanto à saúde emocional da mulher e da criança.

 La humanización de la asistencia al parto envuelve el respeto a los derechos sexuales y reproductivos de la mujer, con atendimiento digno, respetuoso,  con bases científicas y libre de cualquier tipo de violencia – fisica, verbal, psicológica o institucional.

 Las investigaciones cientificas bien realizadas indican que las embarazadas de bajo riesgo y sus bebés tienen su salud, seguridad y bienestar favorecidos en un parto normal con el mínimo de intervenciones y drogas.

 Apenas  cerca de 15% de las mujeres necesitan de una cesárea, y, en esos casos, la cirugía se muestra salvadora. Para todas las demás, sin embargo, ella implica más riesgos que beneficios.

 En Brasil, infelizmente, muchas prácticas comprobadamente inadecuadas todavía son realizadas de rutina, como la episotomia o “pique” ( corte en la vagina de la mujer en trabajo de parto), kristeller (empujar la barriga de la mamá) y otras. Eso también constituye violencia y puede tener  malas consecuencias  tanto para la salud fisica cuanto la salud emocional de la mujer y del niño.

Em um parto humanizado

* Utilizam-se principalmente métodos naturais para alívio da dor, como massagens e banhos quentes. Os métodos farmacológicos (anestesias) ficam disponíveis, mas são usados com cautela pois não são isentos de riscos.

* A mulher pode se movimentar livremente, caminhar, agachar, ficar de quatro, como achar mais confortável. Isso facilita o trabalho de parto e permite que a mulher lide melhor com as contrações.

* A mulher pode falar, gemer e mesmo gritar, si tiver vontade.

*O pediatra asiste o recém nascido sem invadir a privacidade da família, respeita o primeiro contato entre mãe e bebê e incentiva a amamentação na primeira hora após o nascimento.

*A mulher só é submetida a um procedimento se consentir com ele, depois de receber informações sobre  benefícios, riscos e efeitos adversos a respeito do mesmo.

*Respeita-se o direito da mulher de ter um acompanhante de sua escolha, durante todo o trabalho de parto, parto e pós-parto.

*Toda a equipe age de modo de privilegiar a saúde e o bem-estar da mãe e da criança.

*A mulher é protagonista de sua história e tem seus direitos e particularidades respeitados.

* Se utilizan principalmente métodos naturales para el alivio del dolor, como masajes y baños calientes. Los métodos farmacologicos (anestesias) quedan disponibles, pero son usados con cuidado pues no estan libres de riesgos.

* La mujer se puede mover libremente, caminar, agarcharse, quedar de cuatro, como se sienta mas confortable. Eso facilita el trabajo de parto y permite que la mujer lidie mejor con las contracciones.

*La mujer puede hablar, gemir y gritar, si tiene ganas.

*El pediatra atiende al recien nacido sin invandir la privacidad de la familia, respeta el primer contacto entre mamá y bebé e incentiva  el amamantamiento en la primera hora después del nacimiento.

* La mujer solamente es sometida a un procedimiento si  da su consentimiento, después de recibir informaciones sobre los beneficios, riesgos y efectos adversos al respecto del mismo.

*Se respeta el derecho de la mujer de tener un acompañante que ella escoja, durante todo el trabajo de parto, parto y pós parto.

*Todo el equipo actúa de manera de privilegiar la salud y el bienestar de la mamá y del bebé.

* La mujer es protagonista de su historia y tiene sus derechos y particularidades respetadas.

 Fonte: Saúde da Mulher, dignidade e respeito (Violência Obstétrica e o modelo que queremos) www.julianacardosopt.com.br

 

Esta entrada foi publicada em Projeto de saúde da mulher migrante latino-americana em São Paulo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>