Cartilha sobre Violência Obstétrica traduzida ao espanhol e inglês

Nosso equipe de base fez a tradução de forma gratuita ao espanhol e inglês do material produzido pelo Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, para maior divulgação das informações.

O material já esta disponível no site do NUDEM.

Material espanhol

Material inglês

Obstetric Violence

Publicado em Projeto de saúde da mulher migrante latino-americana em São Paulo | Deixar um comentário

Oficina sobre Violência Obstétrica – Ministerio de la mujer, Comunidad Hispana – Iglesia Adventista del Séptimo Día

Oficina sobre Violência Obstétrica – Ministerio de la mujer, Comunidad Hispana – Iglesia Adventista del Séptimo Día

Oficina sobre Violência Obstétrica (15/11/14)

Publicado em Projeto de saúde da mulher migrante latino-americana em São Paulo | Deixar um comentário

VOTO DESPRENDIDO – Sobre el voto del boliviano en el exterior

VOTO DESPRENDIDO – Sobre el voto del boliviano en el exterior

El boliviano lo deja todo para última hora! eso también pensé yo cuando fui voluntaria para jurado electoral de estas elecciones presidenciales y me dirigía calma para abrir mi mesa: “llegarán casi todos hasta más o menos las tres de la tarde”, imaginaba mientras caminaba hacia la escuela en la que me tocó votar.

Al llegar a la escuela me dí cuenta de que más equivocada no podía estar: había una fila ya inmensa de bolivianos y bolivanas, compratriotas mios, que se había formado desde las seis de la mañana, aún a pesar de que el TSE tuvo el mal tino de no tener en cuenta las grandes distancias en São Paulo y dividir a la población electoral de manera por demás errática, habían mujeres con niños, jóvenes, adultos mayores, etc, etc. aún a pesar también de la inmensa campaña de desprestigio de alguna tienda política que se dio a la tarea de hacer creer a la población inmigrante boliviana que su voto no serviría de nada! Me quedó claro una cosa, los y las bolivianas queremos votar!!!

Y los resultados se dieron así en mi mesa:

PDC: 4
PVB-IEP: 3
MSM: 7
MAS-IPSP: 118
UD: 4
BLANCOS:0
NULOS: 5

Qué me quedó de esta experiencia?

La frase: “Yo voto por el Evo porque aunque no haga nada por nosotros los inmigrantes, está haciendo cambios en Bolivia”, nada me pudo conmover más que estra frase desprendida. Es más que obvio el poco o nulo apoyo que recibimos aquí del consulado boliviano, pero es loable cómo el boliviano aún a pesar de estar fuera de su país piensa, se sacrifica y decide en favor de su mejora.

Esos hijos “desterrados” de su tierra por falta de oportunidades aún aman a su patria! Gracias hermanos!!!
Sí, es imposible negarlo, hubo muchísima desorganización! como es casi una constante. Pero sería imposible dejar de reconocer a toda la gente: notarios, jurados electorales (muchos de ellos voluntarios), con toda la predisposición de hacer bien las cosas, de hacerlas de manera transparente! Cómo admiro a mi gente!!

Esta, más allá de ser una victoria de Evo Morales tiene que ser un compromiso por parte del partido de gobierno para seguir mejorando, para subsanar sus grandes o pequeñas fallas, que sí las tiene y eso es innegable. En definitiva, de responder a la confianza, que una vez más, le ha dado el pueblo boliviano con mucho desprendimiento, tanto dentro como fuera de Bolvia! Y a los bolivianos de dentro y fuera es a quienes tendrá que responder!
FELIDICADES BOLIVIA, NOS ESPERA UN FUTURO!!

Por:
Gabriela Arraya Villarreal (Equipe de Base Warmis-Convergência das Culturas)

Publicado em Opiniões | Deixar um comentário

O que devo fazer se estiver sofrendo algum tipo de violência doméstica?

O que devo fazer se estiver sofrendo algum tipo de violência doméstica?

Primeiro de tudo é importante que não tenha vergonha de tomar uma providência, procurando uma delegacia ou a Defensoria Pública, onde você encontrará pessoas preparadas para auxiliar. Lembre-se que você não está sozinha. A violência doméstica ou familiar, infelizmente, é mais comum do que se imagina e independe de raça, idade ou mesmo classe social – e muitos casos acabam até mesmo em morte, por medo ou vergonha das mulheres agredidas. Além disso, existe o serviço “Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher”. Trata-se de um serviço do governo federal que auxilia e orienta as mulheres vítimas de violência por meio de ligações gratuitas para o número 180, de qualquer parte do território nacional, 24 horas por dia – inclusive nos feriados e finais de semana.

Fonte: Defensoria Pública de São Paulo

Publicado em Dica Legal | Deixar um comentário

UMSPB: União Malinesa em São Paulo organiza a festa de Independência do Mali

UMSPB:União Malinesa em São Paulo está organizado a festa de Independência do Mali 22 setembro 1960 -22 setembro 2014.

Data: 21 de setembro 2014

Horário: 08hoo até 16h00 hs

Onde: Rua: Do Glicério ,225-Liberdade-São Paulo-sp –Brasil, Cep: 01514-000,

Contato: Tel:11 32095388 Cel:(11)949469061

Programação:

-10h30 Lançamento de abertura de festa de independência,
-10h50 Hino nacional do Mali,
-11h00 Agradecimento de convidados e todas pessoas presentes,
-11h05 Discurso e motivo de festa de independência do Mali em São Paulo no Brasil,
-12h 00 Apresentação da cultura Malinesa e historia sobre Mali,
-12h50 poema de independência do Mali
-13h00 Teatro do Mali,
-13h20 Dança e canções
-14h00 as 15h00 Almoço de muitas comidas diferente Malinesa e refrigerante
-15h00 Dança publica com show de diferente musica do mundo,
-16h00 Cerramento e agradecimento do Casa Imigrante,Arsenal da esperança,mas todos parceiros e amigos dos Malines em são Paulo no Brasil

Publicado em Informação | Deixar um comentário

Semana da mulher negra indígena latino americana e caribenha- Coletivo Feminista Maria Bonita da História e Geografia FFLCH-USP

Semana da mulher negra indígena latino americana e caribenha- Coletivo Feminista Maria Bonita da História e Geografia FFLCH-USP

Participaremos na mesa :Urbanismo, território e migrações.

Publicado em Atividades | Deixar um comentário

Workshop on Immigration Laws

Workshop on Immigration Laws

Political Rights

Statute of Foreigners

Article 95. A foreigner living in Brazil has all the rights granted to Brazilians under the Constitution and laws.

Article 107. A foreigner admitted into the country cannot exercise activity of a political nature or interfere in the public affairs of Brazil, with the following especially prohibited:

I – organizing, creating, or being a member of any group of a political nature, even with the intention of propaganda or advertising exclusively among compatriots, of ideas, programs, or regulations of political parties of his or her country of origin.

II – exercising individual action, together with compatriots or non-compatriots, to obtain, through coercion, adherance to ideas, programs, or regulations of political parties of any country.

III – organizing parades, marches, elections or meetings of any nature, or participating in any of the former with the intentions referred to in items I and II of this article.

Bill

Article 8. – A foreigner admitted into the country cannot be active in any political party, and is forbidden from organizing, creating, or being a member of an association or any political organization, with the exception of Portuguese citizens, as provided in the Treaty of Friendship, Cooperation and Consultation.

Public Policy

Bill

Article 5. To the foreigner living in Brazil, permanent or temporary, the following rights and fundamental guarantees laid out in the Constitution are assured, especially:

I – The inviolability of the rights to life, liberty, equality, security and property;

II – The civil and social rights granted to Brazilians

III – Freedom of movement within the country.

IV – The right to assemble peacefully, without weapons, in places that are freely open to the public, as long as another meeting has not previously been disallowed in the same site, and given the necessary prior notice to the competent authority;

V – The right to assemble for lawful purposes, under the law.

VI – The right to education

VII – The right to public health

VIII – The rights to work and to unionization, under the law; and

IX – Access to Justice; even free: sole paragraph. These rights are extended to foreigners, regardless of their immigration status, observed in accordance with article 5, caput, of the Constitution:

I – Access to health and education

II – The benefits derived from compliance with legal and contractual obligations relating to employment, by the employer, and

III – Protective measures for victims and witnesses of human trafficking and all trafficking of immigrants.

Article 15. Visas for entrance and stay in the country are the following:

I – Tourism and business;

II – Temporary;

III – Permanent;

IV – Diplomatic;

V – Official;

VI – Courtesy;

Sole paragraph. The requirements for attaining the visas will be laid out in regulations.

To understand the difference:
Article 102. Repatriation consists of the impediment to the entry of an unauthorized foreigner into the country, who is still in the area of the airport, or port.

Article 103. Deportation consists of compulsory withdrawal of the foreigner from the country.

Article 111. Expulsion consists of compulsory withdrawal of the foreigner who commits crimes in Brazil, or, in any way, acts against national interests.

Article 122. Extradition can be granted if formally requested by the foreign state for instructive or enforceable purposes, if the application is justified under a treaty or reciprocal commitment.

Criminalization

Bill

Article 6. Foreigners must verify their legal residence in the country whenever required to do so by the police authority.

Article 107. While deportation is not fulfilled, the deportee must appear weekly to the competent organ of the Ministry of Justice to report on his or her address, activities and compliance with the imposed conditions.

§1° The deportee may be committed to interim prison by the police authority in the event of breach of the above provisions or whenever necessary to ensure completion of the exit process.

Article 149. The following constitute administrative infractions:

I – Entry without authorization into the country by a foreigner who is still in the area of the airport, port, or border.

Penalty fine and repatriation

II – Entry or illegal stay inside the country:

Penalty fine and deportation, if the foreigner does not leave within the proscribed time period.

Penal Code

Article 452. The use by the foreigner of any false name, qualification, or document of origin or any false document in order to enter or remain in the country:

Prison – from two to five years

Prison term from one to three years and fine (actual)

Sole paragraph. The same penalty is incurred by the foreigner who omits information, uses false documents or makes false statements in order to be recognized as a refugee in the country.

Article 453. Attributing to the foreigner qualification or information known to be false, to promote entry or stay in the country or to assure refugee status.

Prison from two to five years

Prison term from one to four years and fine (actual)

Article 454. Bringing a foreigner in clandestinely or hiding an undocumented immigrant:

Prison term from two to five years

Prison term from one to three years and fine (actual)

Article 457. Having the intention to own property, media of communication, business, action, title, or value belonging to a foreigner, in cases where the ownership or possession of goods is forbidden.

Prison – from two to four years.

Prison term from six months to three years and fine (actual)

Communication

Statute of Foreigners

Article 106. Foreigners are forbidden from:

II – Owning a journalistic venture of any kind, or television or broadcast radio companies, being a partner or shareholder of any of these companies;

III – Being responsible, or being an intellectual or administrative consultant for any of the companies mentioned in the previous item.

Bill

Article 7.

Foreigners are prohibited from the following, except as provided in specific legislation, from:

II – Owning a venture that is journalistic, radio broadcast, or sound and images;

III – Being responsible for the editorial content and the activities of selection and management of the transmitted programming.

Produced (in Spanish) by “Educar para o Mundo” (Education for the World)

**** Traducción libre: Rachel Parks

Publicado em Projeto Oficina Novo Estatuto do Estrangeiro | Deixar um comentário

Manobra de Kristeller- Violência no Parto

Manobra de Kristeller- Violência no Parto

Se usa con frecuencia en los hospitales con el fin de acelerar la fase del expulsivo del parto.
Usa-se com frequência nos hospitais para acelerar a fase de expulsão do feto no parto.

Riesgos para el bebé
Riscos para o bebê

• Aumento de la probabilidad de las complicaciones propias de la distocia de hombros (fractura de clavícula, trauma encefálico y desgarro del músculo esternocleidomastoideo)
- Aumento da probabilidade de um parto difícil com complicações relacionadas aos ombros do bebê (fratura de clavícula, trauma encefálico, descolamento do músculo esternocleidomastoideo);

• Parálisis de Erb, que es consecuencia de una lesión en los nervios del plexo braquial que controlan el movimiento de hombros, brazos y manos
- Paralisia de Erb – consequência de lesão nos nervos do plexo braquial, que controlam os movimentos de ombros, braços e mãos;

• Fractura de húmero o de costillas
- Fratura de úmero ou de costelas;

• Hipoxia (Sufrimiento fetal: disminución o ausencia de oxigeno que debe ser recibido por el feto a través de la placenta)
- Hipoxia – sofrimento para o feto com diminuição ou ausência de oxigênio necessário ao feto por meio da placenta;

• Lesiones de órganos internos
- Lesões de órgãos internos;

• Hematomas
- Hematomas;

• Incremento de la presión intracraneal, cefalohematoma, hemorragias intracraneales (especialmente cuando además el parto es instrumentalizado)
- Aumento da pessão intracranial, cefalohematoma, hemorragias intracraniais (especialmente quando o parto é instrumentalizado).

Riesgos para la madre
Riscos para a mãe

• Hemorragia y contusiones
- Hemorrogias e contusões;

• Rotura uterina e inversión uterina, que pueden provocar hemorragias graves y, en casos extremos, desembocar en la extirpación de útero.
- Rotura uterina e inversão uterina, que podem provocar hemorragias graves e, em casos extremos, desembocar em extirpação do útero;

• Aumento del riesgo de desgarros de tercer y cuarto grado, perineales y vaginales.
- Aumento do risco de descolamento do períneo e/ou da vagina em terceiro ou quarto grau;

• Prolapso urogenital (cuando los órganos genitales internos de la mujer (útero, ovarios, trompas de Falopio, la vejiga y los gruesos canales musculares que forman la vagina, el recto y la uretra) se proyectan hacia afuera, empujando las paredes vaginales o rectales).
- Prolapso urogenital (quando os órgãos genitais internos da mulher – útero, ovários, trompas de Falópio, bexiga e os canais musculares que formam a vagina, o reto e a uretra – se projetam para fora, empurrando as paredes vaginais ou retais;

• Desprendimiento prematuro de placenta
- Desprendimento prematuro da placenta;

• Fractura costal
- Fratura de costelas;

• Contusiones
- Contusões

Alternativas:
Alternativas:

Realizar esta maniobra es una mala praxis médica que puede ser evitada mediante alternativas como las siguientes:
Realizar esta manobra não é uma boa prática médica. Ela pode ser evitada utilizando-se alternativas como as seguintes:

• Verticalidad y libertad de movimiento durante todas las fases del parto, ya que la posición de litotomía dificulta el descenso del bebé.
•Verticalidade e liberdade de movimentos durantes todas as fases do parto, já que a posição de litotomia dificulta a descida do bebê;

• Respetar el ritmo propio de cada parto y los tiempos de la madre y del bebé. Procurar de que la mujer pueda parir en condiciones óptimas para un buen desarrollo del parto: con intimidad y privacidad, y acompañada por la persona que ella desea.
•Respeitar o ritmo de cada parta e os tempos da mãe e do bebê. Permitir que a mulher possa parir em condições ótimas para um bom desenvolvimento do parto: com intimidade, privacidade e acompanhada pela pessoa que deseja;

• No dirigir los pujos ni obligar a ellos antes de que la mujer sienta necesidad.
•Não provocar as contrações nem forçá-las antes que a mulher sinta necessidade;

• La oferta y utilización de otros métodos alternativos a la epidural, en caso de que la mujer así lo decida.
•Oferecer e utilizar outros métodos alternativos à epidural, caso a mulher assim decida;

• Si se utiliza analgesia epidural, que sea en dosis bajas (walking epidural), lo cual posibilita a la mujer la libertad de movimiento durante el trabajo de parto.
•Se houver necessidade de utilizar anestesia epidural, que seja em doses baixas (walking epidural) que possibilite à mulher liberdade de movimento durante o trabalho de parto.

Fuente:

http://www.elpartoesnuestro.es/informacion/parto/maniobra-kristeller-0

Tradução livre: Simone Toji (voluntária de Warmis)

Publicado em Projeto de saúde da mulher migrante latino-americana em São Paulo | Deixar um comentário

Políticas Públicas-Mulheres Imigrantes: das senhoras da limpeza às senhoras do desenvolvimento

SEMINÁRIO INTERNACIONAL
Políticas Públicas-Mulheres Imigrantes: das senhoras da limpeza às senhoras do desenvolvimento

Nuestro Equipe de Base participará de este evento:

QUANDO: 06 de Agosto 2014
DONDE: USP- Prédio de Filosofia e das Ciências Sociais. Av. Prof. Luciano Guadalberto, 318 sala 8
ORGANIZA: PAL- Presencia América Latina, Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da Universidade de São Paulo e Grupo de Estudos Gênero, Mulheres e Temas Transnacionais- GEMTTRA.


****** vagas abertas para este seminário estão esgotadas. Temos lista de espera ******

Publicado em Atividades | Deixar um comentário

Mulheres Imigrantes na Comigrar

Mulheres Imigrantes na Comigrar

La preparación de las mujeres inmigrantes para la Comigrar comenzo en la 1° Conferencia Municipal de Politicas para Imigrantes ( 29/11- 30/11-01/12  de 2013) realizada en São Paulo y promovida por la Coordenação de Políticas para Migrantes (CPMig) da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) , evento en el cual se consiguio colocar una propuesta específica a género:
A preparação para a participação das mulheres imigrantes na 1ª Conferência Nacional sobre Migrações e Refúgio (COMIGRAR) teve início na 1ª Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes ( 29 de novembro a 1 de dezembro de 2013), realizada em São Paulo e promovida pela Coordenação de Políticas para Migrantes (CPMig) da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), evento que conseguiu inserir uma proposta específica com relação às questões de gênero:

 “Qualificar e sensibilizar os equipamentos públicos para atenção às mulheres imigrantes e refugiadas vítimas de violência de gênero, doméstica, obstétrica, sexual, econômica, familiar, laboral, entre outras, respeitando a diversidade cultural, religiosa e sexual, garantindo a aplicação da Lei Maria da Penha para todas as mulheres migrantes; elaborar material em diversos idiomas com ampla distribuição e assistência jurídica especializada; garantir acesso a abrigos e moradia para mulheres em situação de risco; incluir parto humanizado para mulheres migrantes, mediante a criação de casas de parto e divulgação das casas; respeitar e incentivar a valorização da multiculturalidade e ancestralidade das culturas.”

También se eligieron 11 delegadas inmigrantes para la Comigrar:

El dia  15 de Marzo de 2014 se realizo la plenária livre: MULHERES IMIGRANTES, UNIDAS SOMOS MAIS FORTES en el Memorial da Resistência de São Paulo  y fue organizado por: Presencia América Latina – PAL, Proyecto Si Yo Puedo, Equipe de Base Warmis-Convergência das Culturas y apoyado por: Red de Mujeres Inmigrantes en Brasil, Memorial da Resistência de Sao Paulo.

No dia 15 de março de 2014 foi realizada a plenária livre MULHERES IMIGRANTES, UNIDAS SOMOS MAIS FORTES, no Memorial da Resistência em São Paulo. Foi organizada por Presencia América Latina (PAL), Proyecto Sí Yo Puedo, Equipe de Base Warmis-Convergência das Culturas, e foi apoiada pela Red de Mujeres Inmigrantes em Brasil e Memorial da Resistência.

Se aprovaron 7 propuestas:
Na Plenária Livre, foram aprovadas sete propostas:

1. Criação de Secretaria Nacional das Migrações. Unificar em uma secretaria facilita informação referente a direitos e deveres dos imigrantes, otimiza recursos e promove uma gestão coordenada com Estados e Municípios.

2.Observatório Nacional  das Migrações, para centralizar e uniformar dados e informações dentro de Brasil e com a região, especialmente com os países com maior fluxo migratório. criação dentro do Observatório de uma plataforma que contemple gênero e etnia, assim como no Comigrar.

3.Inclusão da Mulher Imigrante em todos os âmbitos de governo (federal, estatal e municipal) na construção de políticas públicas sejam esta Politica Nacional de Migrações, Plano nacional e programas.

4.A mulher imigrante é vitima de violência, mais que as nacionais pelas dupla ou tripla vulnerabilidade que enfrenta.

Mulher-estrangeira-indocumentada e outras. Entre as maiores violências se destaca se doméstica, obstétrica e abandono. Propõe-se adaptação da Lei Maria da Penha , e recomendamos a criação da delegacia para a Mulher Imigrante com a participação ativa de mulheres das comunidades como uma rede de apoio a suas congêneres abusadas ou vitimas de qualquer tipo de violência.

Considera-se também que é vitima da Violência Obstétrica. Recomenda-se o respeito a mulher de forma que seja garantido o parto humanizado, contemplando a diversidade cultural, hábitos e costumes com atenção ao processo completo desde pre-natal até post- parto, incluindo dentro de este atendimento vitimas de estupro.

Recomendamos acompanhamento de agentes comunitarios das comunidades de origem para dar apoio e monitorar o atendimento.

5. Educação Inclusiva, educar a população imigrante e nacional para a diversidade, criar programas nacionais de inclusão social e dialogo inter-cultural, contemplando uma rede de apoio para os e as imigrantes e suas famílias.

6.Informação e Campanhas Nacionais, para imigrantes e nacionais entregando informação sobre deveres e direitos, que muitas vezes existem porém não são reconhecidos ou conhecidos e onde podem ser atendidos se esses direitos não são respeitados.

7. Casa de Acolhimento para os e as imigrantes em situação de violência para as mulheres e suas famílias, com criação de redes de apoio da sociedade civil e das comunidades de procedência  das vitimas para uma maior integração de Estado, sociedade civil e sociedade local.

En la COMIGRAR ( Conferência Nacional sobre Migrações e Refúgio )  hubo una participación representativa de mujeres imigrantes; por nuestra parte conseguimos  complementar en la Propuesta- Sintesis de Salud  la propuesta (4) de la  Plenaria Livre : “Mujeres Inmigrantes Unidas somos más fuertes”.

Na COMIGRAR, houve uma participação considerável de mulheres imigrantes. De nossa parte, conseguimos complementar na Proposta-Síntese de Saúde a proposta 4 da Plenária Livre “Mujeres Inmigrantes Unidas somos más fuertes”.

Como participante  tengo algunas observaciones:
Como delegada participante, tenho algumas observações:

– Fui barrada para entrar en el evento junto a una compañera del Congo, motivo: las dos estabamos con nuestros hijos yo con un nene de 1 mes y medio y ella con un niño de 2 años, cuando intentamos entrar los de seguridad de la Uninove no nos dejaron pasar pero tambien no nos explicaron en el primer momento porque, cuando preguntamos después de unos minutos (estabamos chocadas por la situación) nos explicaron que era una politica interna de la Universidad.  Después de unos 15 minutos paradas sin saber que hacer aparecio una chica de la organización para ayudar, despues de un tiempo los de seguridad aparecieron con unas hojas para firmar que eran términos de responsabilidad por los niños.

- Fui barrada na entrada do evento junto com uma companheira do Congo. Motivo: nós duas estávamos com nossos filhos. Eu estava com um nenê de um mês e meio e ela, com um menino de dois anos. Quando tentamos entrar, os seguranças da Uninove nos proibiram e também não nos explicaram num primeiro momento o por quê. Quando lhes questionamos, depois de alguns minutos (estávamos chocadas com a situação), eles nos explicaram que aquilo era uma política interna da Uninove. Depois de uns quinze minutos paradas, sem saber o que fazer, uma moça da organização apareceu para nos ajudar. Depois de mais um tempo, os seguranças apareceram com umas folhas para que assinássemos que teríamos total responsabilidade pela entrada das crianças.

Entonces me parece que la organización de estos eventos tiene que prever que para que las mujeres imigrantes participemos tienen que estar incluidos nuestros niños, no tenemos dónde dejarlos y cosas como esta hace que las mujeres no participen.

Então me parece que a organização destes eventos tem que prever que para as mulheres migrantes participarem, é necessário que nossos filhos sejam incluídos, pois não temos onde deixá-los. Coisas como estas propiciam que mulheres não possam participar de debates como este.

 – Por lo menos en el grupo que participe la presencia de imigrantes y refugiados era muy pequeña, deberia propiciarse una mayor participación porque si no estamos los interesados los discursos se distorsionan. Por ejemplo en mi grupo tuve que hacer una colocación para los demás reflexionar:

- Pelo menos no grupo em que participei, era muito pequena a presença de imigrantes e refugiados. Deveria-se propiciar uma maior participação destes porque senão os discursos podem ser distorcidos. Por exemplo, em meu grupo tive que fazer a seguinte colocação para que os presentes refletissem:

Los inmigrantes no queremos tratamientos especiales o ser mejor tratados que los brasileros. Queremos que la salud, educación, servicios sociales mejore para todos, por ser imigrantes somos vulnerables a discriminación y malos tratos.

Nós imigrantes não queremos tratamento especial ou ser melhor tratados que os brasileiros. Queremos saúde, educação, serviços sociais melhores para todos. Por sermos imigrantes, acabamos sendo mais vulneráveis a discriminação e maus-tratos.

Porque tuve que hacer la colocación ?? porque habian personas  que en sus colocaciones claramente expresaban que no estaban de acuerdo con  algunas propuestas-síntesis por parecerles que beneficiaban más a los imigrantes que a los propios brasileros, para mi eran interpretaciones con un nacionalismo velado de fondo y si no estamos los imigrantes y refugiados  masivamente en estos ámbitos que son  creados para nosotros  se distorsiona el camino andado (plenarias libres de imigrantes en todo Brasil recogiendo las propuestas).

Por que tive que realizar esta intervenção? Porque havia pessoas que em suas colocações expressavam claramente que não estavam de acordo com algumas propostas-sínteses, porque estas lhes pareciam beneficiar mais aos imigrantes que aos próprios brasileiros. Para mim, eram interpretações com um nacionalismo velado de fundo. E se nós imigrantes e refugiados não estivéssemos lá massivamente, esses âmbitos que são criados para nós se distorcem todo o caminho andado (plenárias livres de imigrantes em todo o Brasil recolhendo propostas).

– Se muy bien que fueron muchas propuestas que tuvieron que ser sintetizadas, pero fueron tan sintetizadas que muchas perdieron su contexto dando errores de interpretación o quedando tan generales que perdian su esencia.
- Sei muito bem que muitas propostas tiveram que ser sintetizadas, mas foram tão sintetizadas que muitas perderam seu contexto, levando a erros de interpretação ou se tornando tão gerais que perderam sua essência.

En todo caso quedo feliz por el camino andado, el apoyo e interés del govierno  en las cuestiones de los imigrantes y refugiados; pongo todas mis esperanzas para substituir el Estatuto del Estranjero por una ley de Migraciones que repete los Derechos Humanos y sea inclusiva.

Em todo caso, fiquei feliz pelo caminho andado, pelo apoio e interesse do governo nas questões dos imigrantes e refugiados. Coloco todas as minhas esperanças para subsituir o Estatuto do Estrangeiro por uma Lei de Migrações que respeite os Direitos Humanos e seja inclusiva.

 

Escrito por Jobana Moya  

 

 

 

 

 

 

Publicado em Atividades | Deixar um comentário